14/12/2018

Por Ecam

Oficinas de dados e estatísticas de comunidades quilombolas terão continuidade em 2019

Oficinas de dados e estatísticas de comunidades quilombolas terão continuidade em 2019

O projeto apresentou os dados que estão sendo levantados pelas comunidades em seis estados da Amazônia. O próximo passo é apoiar na análise desses dados socioeconômicos de mapeamento junto às comunidades e Conaq para pensar estratégias de uso das informações para políticas públicas

O programa Sharing Worlds (Compartilhando Mundos), promovido pela Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam) em parceria com a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) e apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid), teve um balanço positivo em 2018 e, na reunião realizada entre as entidades no dia 29/11, ficou estabelecida a continuidade das ações em 2019. Um dos objetivos da próxima etapa é realizar oficinas de análise de dados, com uma instituição especialista (Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados- IBPAD), nas comunidades quilombolas que fizeram os levantamentos ao longo dos anos 2017 e 2018.

A partir dessas oficinas, as comunidades podem pensar em estratégias de ações para as suas comunidades com um diagnóstico rico com informações sobre renda, educação, saúde e muito mais. Também apoiaremos a Conaq no uso das informações que acharem pertinente para o movimento quilombola.

Nos anos 2017 e 2018 (e a ser finalizado em 2019), foram coletados dados sobre socioeconomia e mapeamento em comunidades do Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima e Tocantins. Os levantamentos socioeconômicos e mapeamentos podem ser ferramentas primordiais para fortalecer as comunidades e dar voz a essas populações tradicionais. Além disso, muitas comunidades têm usado essas ferramentas para a construção de Planos de Gestão Ambiental e Territorial Participativa (ou Planos de Vida).

De forma mais abrangente, os levantamentos podem mostrar de forma concreta e sistematizada quem são estes quilombolas, o que querem, como vivem, suas diferenças e semelhanças. Isto, a partir de sua própria ótica e não de terceiros, com todas as etapas feitas por eles mesmos, desde a coleta dos dados até a análise e uso das informações.

O programa Sharing Worlds é uma segunda fase do Programa Novas Tecnologias que asseguram o total controle das próprias comunidades sobre os resultados de suas pesquisas.

Em evento mundial, brasileira apresenta estudo sobre situação dos territórios tradicionais diante da pandemia

Em evento mundial, brasileira apresenta estudo sobre...

O Geo For Good Summit promove, anualmente, ações e projetos com impacto positivo ao redor do mundo. Entre os dias 20 e 22 deste mês, acontecerá a...

Cursistas do Projeto Capacitar para Conservar passam em processo seletivo para Guardaparque

Cursistas do Projeto Capacitar para Conservar passam em...

Ao todo, o curso de Guardaparque, oferecido pela Ecam em parceria com o Fundo Amazônia, capacitou mais de 160 agentes e gestores ambientais. Seis...

Quilombolas pedem ao STF plano emergencial de enfrentamento à Covid-19

Quilombolas pedem ao STF plano emergencial de enfrentamento...

A ação solicita medidas urgentes de acesso à saúde, segurança alimentar e garantia de isolamento em suas comunidades.  Diante do ocorrência e...

Em meio a pandemia, Ecam e parceiros apoiam comunidades tradicionais de  9 Estados

Em meio a pandemia, Ecam e parceiros apoiam comunidades...

Cestas básicas, kits de higiene e equipamentos médicos fazem parte das doações. Ecam e parceiros realizam entrega de materiais de apoio para povos...