14/12/2018

Por Ecam

Oficinas de dados e estatísticas de comunidades quilombolas terão continuidade em 2019

Oficinas de dados e estatísticas de comunidades quilombolas terão continuidade em 2019

O projeto apresentou os dados que estão sendo levantados pelas comunidades em seis estados da Amazônia. O próximo passo é apoiar na análise desses dados socioeconômicos de mapeamento junto às comunidades e Conaq para pensar estratégias de uso das informações para políticas públicas

O programa Sharing Worlds (Compartilhando Mundos), promovido pela Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam) em parceria com a Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) e apoio da Agência dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid), teve um balanço positivo em 2018 e, na reunião realizada entre as entidades no dia 29/11, ficou estabelecida a continuidade das ações em 2019. Um dos objetivos da próxima etapa é realizar oficinas de análise de dados, com uma instituição especialista (Instituto Brasileiro de Pesquisa e Análise de Dados- IBPAD), nas comunidades quilombolas que fizeram os levantamentos ao longo dos anos 2017 e 2018.

A partir dessas oficinas, as comunidades podem pensar em estratégias de ações para as suas comunidades com um diagnóstico rico com informações sobre renda, educação, saúde e muito mais. Também apoiaremos a Conaq no uso das informações que acharem pertinente para o movimento quilombola.

Nos anos 2017 e 2018 (e a ser finalizado em 2019), foram coletados dados sobre socioeconomia e mapeamento em comunidades do Amapá, Maranhão, Mato Grosso, Pará, Roraima e Tocantins. Os levantamentos socioeconômicos e mapeamentos podem ser ferramentas primordiais para fortalecer as comunidades e dar voz a essas populações tradicionais. Além disso, muitas comunidades têm usado essas ferramentas para a construção de Planos de Gestão Ambiental e Territorial Participativa (ou Planos de Vida).

De forma mais abrangente, os levantamentos podem mostrar de forma concreta e sistematizada quem são estes quilombolas, o que querem, como vivem, suas diferenças e semelhanças. Isto, a partir de sua própria ótica e não de terceiros, com todas as etapas feitas por eles mesmos, desde a coleta dos dados até a análise e uso das informações.

O programa Sharing Worlds é uma segunda fase do Programa Novas Tecnologias que asseguram o total controle das próprias comunidades sobre os resultados de suas pesquisas.

OFICINA DE ANÁLISE DE DADOS SOCIOECONÔMICOS E MAPEAMENTO ACONTECE ESTE FINAL DE SEMANA PARA QUILOMBOLAS DO MATO GROSSO

OFICINA DE ANÁLISE DE DADOS SOCIOECONÔMICOS E MAPEAMENTO...

Entre os dia 24 à 26 de maio (de sexta a domingo) comunidades quilombolas do Estado do Mato Grosso receberão a oficina de análise de dados...

Digital Influencer foi tema de oficinas de Educomunicação realizadas pelo Programa Territórios Sustentável

Digital Influencer foi tema de oficinas de Educomunicação...

Aproximadamente 100 pessoas, entre jovens e adultos, dos municípios de Terra Santa, Faro e Oriximiná, estiveram nos dias, 10, 11 e 13 de abril,...

Educomunicação retoma atividades nos municípios de Oriximiná, Terra Santa e Faro

Educomunicação retoma atividades nos municípios de...

As oficinas têm como principal objetivo democratizar o uso das ferramentas da comunicação possibilitando o empoderamento e engajamento de jovens...

ECAM leva metodologia do uso de ferramenta ODK para o Equador

ECAM leva metodologia do uso de ferramenta ODK para o...

Técnicos da Ecociencia e líderes indígenas Waorani, da região da Amazônia Equatorial, receberam o curso de capacitação na ferramenta ODK (Open...