28/04/2020

Por Fernanda Costa

Quilombolas de Oriximiná se unem para vencer pandemia e manter as comunidades livres de contágio

Quilombolas de Oriximiná se unem para vencer pandemia e manter as comunidades livres de contágio

Assegurar condições de sustentabilidade das populações em suas comunidades é o objetivo das ações desenvolvidas pela Arqmo e parceiros contra a Covid-19.

Localizada às margens do rio Trombetas, um dos afluentes do Rio Amazonas, distante a aproximadamente 820 km da capital do Pará, o município de Oriximiná é um dos municípios paraenses que possui a maior população quilombola do estado, ao todo são 37 comunidades remanescentes de quilombos, uma média de aproximadamente 4 mil famílias que sobrevivem da agricultura familiar, pesca e extrativismo, como o da castanha do Pará, principal fonte de renda de muitas famílias durante o período de coleta. Mas, alguém já parou para pensar como está a economia nos quilombos neste período de pandemia? A pergunta de repente fique sem resposta, mas ao conversar com o senhor Gervásio Oliveira, 57 anos, coordenador da associação do território Ariramba e agricultor, a gente começa a entender a dinâmica da vida nos territórios quilombolas.

A história de vida de seu Gervásio é igual a de tantos outros quilombolas que trabalham cultivando a terra e após a produção dos derivados da mandioca saem das comunidades ainda na madrugada em pequenas embarcações para assegurar o sustento de suas famílias. “A gente vive da agricultura e se não trabalha é um Deus nos acuda. Na feira tem dias que vende R$ 300,00 e quando a venda é boa a gente ganha até R$ 800,00”, declarou o líder quilombola que juntamente com a família e a família dos três filhos casados, todos residentes no mesmo domicílio, trabalha na produção dos derivados da mandioca como a farinha d’água, farinha de tapioca e beijus, produto muito apreciado na culinária local, e no extrativismo com a produção do açaí e castanha do pará.

A Cooperativa Mista dos Povos e Comunidades Tradicionais da Calha Norte – Coopaflora é outro exemplo importante, recém-criada e fonte de renda para povos indígenas, ribeirinhos e quilombolas, antes da pandemia chegou a efetivar uma venda de 48.070 kg de castanha do pará o que equivale a 878 hectolitros de castanha. “Depois do foco da pandemia não compramos mais castanha e nem um produto do extrativismo por conta dos trâmites legais, e isso reflete de forma negativa pois cai o preço dos produtos e o produtor fica nas mãos dos atravessadores que usam a pandemia como forma de tirar vantagem”, ressaltou Rogério Pereira, presidente da Coopaflora.

Com as publicações de isolamento, decretos e instruções normativas por parte do poder público, os povos quilombolas dos oito territórios de Oriximiná seguem orientados a permanecerem nos quilombos como forma de conter o avanço e o contágio comunitário. Ainda no mês de março, com apoio de instituições governamentais e privadas foi criado um GT (Grupo de Trabalho de Combate ao coronavírus) e entre as ações está doação de cestas básicas, como medida para manter os quilombolas em suas comunidades. Em Oriximiná a Arqmo também criou a campanha #FicaemCasaQuilombola nas redes sociais e whatsapp, além de uma campanha de arrecadação virtual https://www.vakinha.com.br/vaquinha/ajuda-humanitariana-para-os-povos-quilombolas-da-amazonia.

Por: Martha Costa

Ecam realiza evento de encerramento de mais uma etapa dos programas Novas Tecnologias e Compartilhando Mundos

Ecam realiza evento de encerramento de mais uma etapa dos...

Programas apoiaram mais de 200 comunidades tradicionais da Amazônia Legal em levantamentos e análises de dados socioeconômicos No próximo dia 2,...

Educomunicação: Projeto que alia inclusão digital e ferramentas de comunicação para comunidades entra em nova fase

Educomunicação: Projeto que alia inclusão digital e...

Projeto entra em fase de expansão com a retomada das atividades, com todas as medidas de segurança contra a covid-19, nas comunidade e abertura para...

Estamos contratando empresa para realização de oficinas de empreendedorismo digital

Estamos contratando empresa para realização de oficinas de...

A Ecam abre processo seletivo para contratação de prestação de serviço de desenvolvimento e facilitação de oficina presenciais para comunidades...

Ecam conclui processo de transição como implementadora do Programa Territórios Sustentáveis (PTS)

Ecam conclui processo de transição como implementadora do...

Após seis anos de atuação, a Ecam conclui ciclo de suas atividades no Programa Territórios Sustentáveis e finaliza processo de transição no...