01/02/2016

Por Ecam

Programa Territórios Sustentáveis discute plano de trabalho com remanescentes quilombolas em Oriximiná (PA)

Programa Territórios Sustentáveis discute plano de trabalho com remanescentes quilombolas em Oriximiná (PA)

Com o objetivo de elaborar um plano de trabalho para 2016, o Programa Territórios Sustentáveis realizou no último dia 21 uma reunião com a Associação das Comunidades Remanescentes de Quilombo de Oriximiná (ARQMO) e seis associações filiadas, e com a Associação Quilombola de Cachoeira Porteira (AMOCREQ). O encontro ocorreu no Centro Integrado de Atendimento à Criança e ao Adolescente, em Oriximiná.

A atividade buscou levantar dados sobre as condições atuais das associações e prever soluções para melhorias do seu funcionamento. “Na oficina foram levantados os principais problemas, suas causas, consequências, soluções e contrapartida das associações quilombolas.  Em resumo as demandas são capacitações em diversas áreas como gestão financeira e secretariado da associação, elaboração e execução de projetos, entre outras; além de necessidades de materiais e infraestruturas para o bom funcionamento das associações”, explicou Edwilson Pordeus, da Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam).

Um outro ponto que ficou acordado na reunião foi o apoio nas áreas contábil e jurídica. “Foi um encontro muito bom e proveitoso. As associações fizeram seus planejamentos para 2016 e traçamos alguns objetivos como legalizar a documentação das mesmas”, disse Claudinete Cole de Souza, da ARQMO.

Validação

A engenheira Jakeline Pereira, do Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), também participou do encontro para validar junto às comunidades de remanescentes quilombolas os dados de economia coletados pela instituição. Foi apresentado um diagnóstico da cadeia produtiva da castanha-do-pará, copaíba e cumaru.

De acordo Jakeline, a demanda fundamental é fazer com que as associações possam gerir o beneficiamento e a comercialização dos produtos, para que o lucro obtido com a venda fique com a comunidade. “A ARQMO, por exemplo, poderia comercializar, mas não possui capital de giro e os extrativistas acabam vendendo a castanha para os atravessadores. A ARQMO já possui um terreno para ser construída a usina de beneficiamento”, explicou.

A principal atividade das comunidades remanescentes de quilombos em Oriximiná é a extração de castanha-do-pará e a comercialização do óleo de copaíba. O cumaru, apesar de promissor para a indústria de cosméticos, ainda é pouco comercializado. Na região há três usinas de beneficiamento de castanha, duas em Óbidos e uma em Oriximiná, mas nenhuma pertence aos remanescentes de quilombos.

“O preço dos produtos poderia melhorar se a própria associação pudesse beneficiar. Os empresários estão exportando e o preço é cotado em dólar. Eles ficaram impressionados com os valores e viram o quanto poderiam ganhar exportando a castanha. Então, vamos trabalhar com a associação, organizar a cooperativa junto com o trabalho da Ecam, para a melhora da cadeia produtiva”, esclarece Jakeline Pereira.

Programa Territórios Sustentáveis

O Programa Territórios Sustentáveis tem o objetivo de contribuir para a construção de uma estratégia de desenvolvimento territorial sustentável em Oriximiná, Faro e Terra Santa, municípios do oeste do Pará. O programa, que terá duração de cerca de 15 anos, é realizado pelas ONG’s Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon), Agenda Pública e Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam), em parceria e com apoio financeiro da Mineração Rio do Norte (MRN). O Programa está estruturado em quatro eixos: a) Gestão Pública, para apoiar a gestão das prefeituras e secretarias no planejamento de suas políticas e serviços públicos; b) Capital Social, para apoiar as comunidades e lideranças em sua organização;  c) Desenvolvimento Econômico: apoio ao desenvolvimento e melhoria da economia por meio das cadeias produtivas desenvolvidas; e d) Gestão Ambiental: apoio direto às secretarias de meio ambiente para garantir a conservação, as licenças de novas atividades nos municípios e o Cadastro Ambiental Rural (CAR).

CAPACITAÇÃO EM COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO FORTALECE TERRITÓRIOS QUILOMBOLAS

CAPACITAÇÃO EM COMUNICAÇÃO E ENGAJAMENTO FORTALECE...

A troca de experiências entre os participantes fortalece o protagonismo das comunidades e consolida a comunicação como um instrumento de luta....

Agricultores de Paulo Frontin conhecem iniciativa que unifica agricultura com produção de carbono

Agricultores de Paulo Frontin conhecem iniciativa que...

Uma roda de conversa direcionada a apresentação dos resultados de viabilidade econômica sobre o pagamento por serviços ambientais para os Sistemas...

Comunidades Quilombolas do Amapá se unem para discutir Projeto de Carbono Social

Comunidades Quilombolas do Amapá se unem para discutir...

No último dia 25 de maio, as comunidades quilombolas de Curiaú, Casa Grande, Pescada e Fugido, no Amapá, se reuniram para discutir a implantação...

Novo Acordo de Cooperação Técnica promete impulsionar a sustentabilidade e a agricultura familiar no país

Novo Acordo de Cooperação Técnica promete impulsionar a...

Um termo de cooperação técnica assinado no mês de maio entre o Instituto Global ESG, a Ecam, a companhia americana ReSeed e o Grupo Arnone,...