05/03/2021

Por Ecam

STF determina criação de plano de proteção aos quilombolas

STF determina criação de plano de proteção aos quilombolas
Imagem: Gabriel Uchida

Comunidades vinham sendo negligenciadas durante a pandemia. Entre os quilombolas, quase 5 mil já testaram positivo para Covid-19, enquanto mais de 200 perderam a vida

As comunidades quilombolas conquistaram uma histórica decisão, fundamental para a proteção da vida destes indivíduos: a Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) nº 742. Julgada pelo STF no dia 23 de fevereiro, reconheceu o direito à implementação pelo Estado de medidas específicas para combate à COVID diante da vulnerabilidade social das comunidades, agravada pela pandemia. 

Em até 30 dias, o Estado deverá, com a participação da Coordenação Nacional de Articulação das Comunidades Negras Rurais Quilombolas (Conaq) elaborar o plano nacional de enfrentamento da pandemia Covid-19 dedicado à população quilombola, versando providências e protocolos sanitários voltados a assegurar a eficácia da vacinação na fase prioritária. Para isso, deverá ser constituído um grupo de trabalho interdisciplinar e paritário, com a participação de instituições do poder público e da sociedade civil organizada para debater, aprovar e monitorar a execução do plano. 

A Conaq já havia alertado, desde o início da pandemia, sobre a necessidade de medidas de proteção e sobre a séria ameaça à vida quilombola com a chegada do vírus nas comunidades. E foi com informações obtidas a partir de dados públicos e da sociedade civil organizada que fundamentaram o pedido judicial no sentido de demonstrar que além do risco de contaminação pela falta de medidas preventivas, a precariedade do sistema de atenção à saúde dos municípios com comunidades, além das condições de saneamento e da maior incidência na população negra de doenças que representam comorbidades à Covid-19.

Para se ter uma ideia do tamanho da negligência, não há dados públicos sobre o número de casos quilombolas. Levantamento da Conaq, divulgado no dia 25/2, apontava 4.935 casos e 208 mortes em todo o Brasil, números que podem ser subnotificados dada a dificuldade de se obter informações oficiais. Diante disto, é relevante a decisão do STF no sentido da efetiva implementação da Lei nº 14.021/2020, relativamente ao registro dos casos segundo o critério raça/cor/etnia e a exigência de notificação compulsória dos casos quilombolas. A referida lei também previu medidas de prevenção e combate ao Covid-19 para a proteção de quilombolas, indígenas, pescadores e integrantes de outras comunidades tradicionais. 

A ação também expôs que a falta de efetivação do direito à terra como um dos elementos a incidir neste contexto de vulnerabilidade ampliada, uma vez que os títulos existentes hoje não atendem a menos de 7 % das comunidades existentes e os conflitos fundiários resultantes desse cenário impediriam a adoção de medidas de isolamento. Nesse sentido, o reconhecimento da necessidade de se suspender processos judiciais relativos às discussões sobre posse e propriedade, sem prejudicar a busca por direitos territoriais, aponta o caminho certo de uma Constituição pautada pelo efetivo reconhecimento do direito à vida, à saúde e à diversidade sociocultural. 

 

Ecam participa das celebrações do 278º Aniversário do Quilombo Mesquita

Ecam participa das celebrações do 278º Aniversário do...

Localidade é uma das comunidades quilombolas mais antigas do Brasil. A Ecam teve a honra e a alegria de participar como apoiadora nos dias 18 e 19 de...

Ecam recebe Prêmio Geo for Good 2023 do Google Earthoutreach por projeto de Carbono Social

Ecam recebe Prêmio Geo for Good 2023 do Google...

Reconhecimento destaca impacto positivo da organização em projetos geoespaciais. Estamos felizes em compartilhar que a Ecam foi reconhecida como uma...

Estágio: Oportunidade imperdível para futuros jornalistas e comunicadores!

Estágio: Oportunidade imperdível para futuros jornalistas...

A Conaq, em parceria com a Ecam, está abrindo vagas de estágio para estudantes de Jornalismo ou áreas afins (1 vaga para designer gráfico e 1 vaga...

Oficina de Comunicação e Engajamento Empodera Comunidades Quilombolas e Defensores de Direitos Humanos

Oficina de Comunicação e Engajamento Empodera Comunidades...

Em um esforço para fortalecer a voz das comunidades quilombolas e dos defensores de direitos humanos, a Ecam realizou no final do mês de março a...