25/02/2016

Por Ecam

Após dois meses de atividades, guarda-parques avaliam ações na APA da Fazendinha

Após dois meses de atividades, guarda-parques avaliam ações na APA da Fazendinha

Desde dezembro do ano passado a Associação de Guarda-Parques do Estado do Amapá (AGPA) trabalhou na Área de Proteção Ambiental (APA) da Fazendinha, no município de Macapá.  A cada sábado foram desenvolvidas ações de educação ambiental, monitoramento e limpeza da área, por exemplo.

No dia 20 de fevereiro a ação foi articulada com a Campanha contra a Dengue. Os  guarda-parques abordaram os moradores da APA da Fazendinha em suas casas, distribuindo panfletos informativos, conversando e orientando sobre o combate ao mosquito Aedes aegypti.

Depois desses três meses de atividades, a AGPA aponta que houve “diminuição das queimadas, das pessoas com armas brancas. A caça e a pesca predatória diminuíram praticamente a zero”, aponta Richard Lopes Pinheiro, presidente da AGPA.

Esse trabalho é de caráter voluntário, resultado de uma parceria firmada com a Secretaria Estadual do Meio Ambiente do Amapá (Sema- AP). A associação também pretende ampliar esse tipo de ação, mas precisa de mais parceiros e apoio para transporte, alimentação e material de campo.  “As nossas lutas como guarda-parques não são de hoje e nem de ontem. Seja de forma individual ou em grupos, cada ação desenvolvida nos encoraja a prosseguir na defesa do meio ambiente”, pontua o guarda-parque Cecílio Pereira.

Richard ainda acrescenta que “nosso trabalho na APA termina agora no final de fevereiro. Mas tenho certeza que a maioria dos moradores hoje sabe o que é ser guarda-parque. Serviu para saber quem somos, o que fazemos e porque fazemos isso”.

Em 2006 uma primeira associação já havia sido criada, mas chamava-se AGA. A partir de 2009 passou a se chamar AGPA. Ficou quase seis anos sem atividades, retomando as ações desde o ano passado. “A associação foi criada para dar suporte para os guarda-parques, no sentido de capacitação, materiais de campo, fazer parcerias com instituições governamentais e não governamentais”, conta Richard. A Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam) desenvolve desde 2005 cursos de formação de guarda-parque. A maior parte dos associados da AGPA participou dessas formações.

E desde 2015, a Ecam vem desenvolvendo o projeto “Capacitar para Conservar – Fortalecendo a Gestão de Áreas Protegidas no Estado Amapá”, em parceria com o Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), a Universidade Federal do Amapá (Unifap) e  a Secretaria Estadual de Meio Ambiente do Amapá (Sema-AP), com apoio do Fundo Amazônia, gerido pelo Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES). Pelo projeto já foram realizados dois cursos de Formação de Guarda-Parques em 2015. Além disso, mais quatro serão realizados até 2017.

Programa Compartilhando Mundos: uma metodologia participativa

Programa Compartilhando Mundos: uma metodologia...

Nos últimos anos, o Programa Compartilhando Mundos realizou oficinas de análise de dados e mapeamentos em seis Estados da Amazônia Legal,...

Auxílio Emergencial: quem tem direito e como acessar

Auxílio Emergencial: quem tem direito e como acessar

Há pouco mais de um mês, o Governo Federal começou a liberar a primeira parcela do auxílio emergencial para os trabalhadores afetados pela...

Quilombolas de Oriximiná se unem para vencer pandemia e manter as comunidades livres de contágio

Quilombolas de Oriximiná se unem para vencer pandemia e...

Assegurar condições de sustentabilidade das populações em suas comunidades é o objetivo das ações desenvolvidas pela Arqmo e parceiros contra a...

Boletim epidemiológico da CONAQ faz alerta para a situação da COVID-19 em comunidades Quilombolas

Boletim epidemiológico da CONAQ faz alerta para a...

Sem ações do poder público, e com uma frágil estrutura do sistema de saúde pública, nos últimos 11 dias ocorreram 6 mortes em quilombos no...