01/10/2018

Por Ecam

Mídias, Redes Sociais e Fake News são debatidos com jovens de Faro, Terra Santa e Oriximiná

Mídias, Redes Sociais e Fake News são debatidos com jovens de Faro, Terra Santa e Oriximiná

As oficinas fazem parte das atividades de Educomunicação do Programa Territórios Sustentáveis, executadas pela Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam) no Eixo Capital Social.

Diferenciar Mídias de Redes Sociais bem como conhecer as vantagens, facilidades e perigos que estão por trás destas ferramentas digitais tão utilizadas na rede mundial de computadores por jovens e adultos, este foi o objetivo das Oficinas de Educomunicação realizadas no período de 24 a 31 de setembro nos municípios de Faro, Terra Santa e Oriximiná pelo Programa Territórios Sustentáveis no Eixo Capital Social. As oficinas fazem parte do ciclo de atividades iniciadas em junho e que visam o empoderamento e fortalecimento institucional das associações, sindicatos, conselhos, grupos representativos, além de promover o envolvimento de jovens e adultos.

De acordo com Rodrigo Rodrigues, consultor da Equipe de Conservação da Amazônia dentro do Programa Territórios Sustentáveis a Educomunicação tem um papel muito importante para a construção de uma sociedade mais igualitária. “Nós estivemos nos três municípios falando sobre as redes sociais, sobre as vantagens, os riscos e as novidades para que eles façam bom uso dessas ferramentas e para que eles possam de fato promover o empoderamento das suas associações, divulgando suas ações e os trabalhos e a partir destas ferramentas colaborar para a construção de uma sociedade melhor”, frisou.

Nesta nova etapa os participantes aprenderam como utilizar as redes sociais e as ferramentas disponíveis, como as campanhas de arrecadação de fundos e de marketing. “Nós aprendemos como lidar hoje em dia com as redes sociais, o que postar, o que colocar e na vida profissional vai ajudar a divulgar os trabalhos que fazemos lá na associação da Cidade Nova e já criamos um perfil onde tudo o que nós fazemos está lá publicado”, Alciney Batista, membro da coordenação da Associação de Moradores do Bairro Cidade Nova.

Entre os temas compartilhados nas Oficinas de Educomunicação estão produção de texto e roteiro para vídeos, edição de vídeos, criação de páginas na web, mídias e redes sociais, onde também foi aberto o debate para as Fakes News. “As Oficinas foram planejadas com o objetivo de atingir especialmente os jovens para que eles possam aprimorar suas habilidades em ferramentas digitais para produzir seus conteúdos e divulgá-los nas mídias sociais pessoais e institucionais. Uma das ferramentas apresentadas foi o impulsionamento de postagens e criação de campanhas de arrecadação de recursos no Facebook, além de mecanismos para combater e denunciar as Fake News”, enfatizou Renata Freire, coordenadora do Eixo capital Social.

O Programa Territórios Sustentáveis é uma iniciativa que conta com a Gestão Integrada da Agenda Pública, Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia (Imazon) e Equipe de Conservação da Amazônia (Ecam), com o apoio financeiro da Mineração Rio do Norte (MRN) e parceria da Agencia dos Estados Unidos para o Desenvolvimento Internacional (Usaid).

Quer saber mais sobre as ações do Programa Territórios Sustentáveis, acesso o site do programa www.territoriossustentaveis.org.br ou baixe o aplicativo. Acompanhe também as redes sociais Territórios Sustentáveis no Facebook, Instagram e no YouTube.

Por Martha Costa

Território Área Alto Trombetas I realiza validação do Plano de Gestão Territorial

Território Área Alto Trombetas I realiza validação do...

Ainda em processo de titulação de parte das suas terras, em sobreposição na Reserva Biológica do Trombetas (Rebio) e da Floresta Nacional...

Seminário em Belém discutirá alternativas de desenvolvimento sustentável na Amazônia

Seminário em Belém discutirá alternativas de...

Promovido pela Plataforma Parceiros Pela Amazônia em novembro, o Seminário Parcerias do Setor Privado pela Conservação da Amazônia abordará...

Quilombolas de Cachoeira Porteira realizam validação do seu Plano de Gestão Territorial

Quilombolas de Cachoeira Porteira realizam validação do...

O território quilombola de Cachoeira Porteira, titulado em 2018 pelo Instituto de Terras do Pará (Iterpa) possui renda diversificada entre o turismo...

Primeiro quilombo titulado do Brasil valida Plano de Gestão Territorial

Primeiro quilombo titulado do Brasil valida Plano de Gestão...

Prestes a celebrar 24 anos de titulação, a primeira na história do Brasil, realizada em novembro de 1995, o território quilombola de Boa Vista...